AS DUAS MULTIDÕES – PALAVRA DE CÉLULA

Nota – Como a palavra é evangelística, você – líder – pode incentivar sua célula a trazer visitantes e fazer uma reunião evangelística também.

QUEBRA GELO –  O líder escolhe uma pessoa para dar seu testemunho de conversão, em trinta segundos. Normalmente um palito de fósforo gasta trinta segundos para queimar, então o líder risca um palito de fósforo e enquanto ele queima, aquela pessoa vai dar seu testemunho. Se não conseguir pode tentar de novo. Será engraçado e muito edificante.

TEXTO PARA O ESTUDO DE HOJE – (Lc 7:11-17).

INTRODUÇÃO: Este é um texto urbano. Foi um acontecimento na cidade, em meio a muita gente. Aconteceu em um encontro entre as multidões.

Aqui temos dois grupos: Um eufórico e feliz e o outro, derrotado e infeliz.

Ainda hoje as coisas são assim: Sempre temos esses dois grupos. Temos sempre dois tipos de coração: Um feliz e outro angustiado.

Na vida uns se entregam e se abatem, mas outros vão à luta e sempre dão a volta por cima. Sempre recomeçam.

Em primeiro lugar veja no texto essas duas multidões: Um grupo está triste, deprimido e sem esperança. O outro grupo está cheio de alegria e vida.- Estes são os dois grupos: Um feliz e o outro chorando – infeliz.

  1. A multidão que saiu de Nain estava aos prantos, pois tinha como ponto de referência um objeto morto. Aquele jovem era o filho único de uma viúva e representava todas as esperanças e investimento daquela mulher.

– Por que muitos hoje estão derrotados e sem expectativa para o futuro? – Porque colocaram suas esperanças em pessoas, em coisas ou objetos e tudo isso passa.

– Alguns acham que serão plenamente felizes quando se casarem. Se o casamento é o seu ponto de referência, prepare-se para o fracasso, pois a vida a dois traz momentos maravilhosos, mas traz também muitas lutas. Lutas que serão enfrentadas pelo casal com a constante ajuda de Deus.

– Outros pensam que serão plenamente felizes quando terminarem a faculdade, ou um doutorado, ou conseguirem um emprego que almejam, mas nada disso traz a completa felicidade, embora sejam coisas importantes na vida.

  1. Havia ali uma segunda multidão. Eles estavam olhando para um referencial vivo. Eles estavam com o “Senhor da vida”. A diferença entre as duas multidões era exatamente o objeto para o qual estavam olhando.

– O segredo da felicidade é fixar-se em Deus e não tirar dele os nossos olhos. Olhar para Jesus é olhar para algo garantido, eterno e definitivo. O mundo busca soluções parciais – precisamos de definições permanentes.  Podemos estar no meio de uma tempestade, mas se Jesus está no barco, ele não afunda. Jesus é a Rocha inabalável!

CONCLUSÃO – Existe um grupo de pessoas que nascem para a vida. São aqueles que têm um encontro real com Jesus e “nascem de novo” – nascem para Deus. O destino dessas pessoas é o céu. Por isso são felizes. – Em que grupo você está?

O que Jesus fez quando viu a multidão desesperada? Ele sentiu compaixão (Lc7:3). Jesus se importou com a tragédia daquele povo, com o drama daquela mulher. Jesus não é indiferente com as nossas dores. Ele se importa. Você pode estar morto espiritualmente, mas Ele irá lhe dar vida.

Jesus consolou aquela mulher. Ele disse: “Não chores! Ainda não acabou, ainda não é o fim. Às vezes o mal parece irreversível, mas quando Jesus aparece as trevas se dissipam; o cego vê, o paralítico anda, o perdido é achado. Houve uma intervenção de Jesus – Ele parou o enterro – Ele parou a morte – Ele interferiu. O seu coração dilatou-se de amor. Se você quiser, Ele vai interferir hoje mesmo em sua vida. O que estava morto pode reviver.

  • Jesus pode interferir em seu casamento;
  • Pode preencher o seu coração desabitado;
  • Pode perdoar hoje todos os seus pecados;
  • Pode sarar a tua alma angustiada.

Nota para o líder – Se houver alguém que ainda não se entregou a Jesus, você deve dar oportunidade. Se todos já são convertidos, faça um desafio para que na próxima célula vocês tenham visitantes.

Que Deus o abençoe e o faça um líder ganhador de almas para Jesus.

Aps. Sinomar e Noeme

Publicar um comentário