O MAIOR DOS TESTES DE AMOR – Série: O amor é tudo

PALAVRA 4

Acredito que o maior teste do nosso amor, é quando alguém nos agride, nos machuca. Como respondemos nessas situações? Ressentimento, mágoa, amargura? (I Co 13:5) Nesse texto de primeira aos Coríntios, em outras palavras, o amor não mantém registro daquilo o que te machucou. Certa vez, ao aconselhar um casal, o marido se queixou de que a esposa usava muitos argumentos de coisas do passado, como se ela tivesse um arquivo de tudo de errado que o marido havia feito. Mas, o amor não faz isso.

A bíblia diz que o amor não guarda rancor ou registro do erro. Devemos ser sinceros e admitir de que todos já fizemos isso. É um sistema de defesa, é uma munição, “fogo com fogo”, mas a bíblia não ensina a termos esse tipo de atitude. De todos os gestos que o amor pode expressar, o perdão é o mais simples e mais difícil de praticar. Há vários pensamentos contrários ao perdão, muitos confundem o perdão verdadeiro.

CONCEITOS ERRADOS

  1. Uma pessoa não deve ser perdoada a não ser que peça
  2. Perdoar é minimizar a ofensa
  3. Perdão inclui a restauração da confiança e do relacionamento
  4. Você não perdoou se não esqueceu

De acordo com a bíblia, nenhuma dessas opções são verdadeiras.

O QUE O PERDÃO NÃO É

  1. Minimizar a ofensa
  2. Desdenhar da dor como se não fosse nada
  3. Retomar o relacionamento sem que haja mudanças
  4. Restaurar um relacionamento (Perdão e restauração de confiança são coisas diferentes)

IMPORTÂNCIA DA INTENÇÃO

As vezes as pessoas falam para nos corrigir e acabam nos magoando mesmo quando não tem a intensão. Perdão é a sua parte da restituição. A intensão se torna importante, porque pode diferenciar a exortação com agressão e gerar mágoa não intencionada.

Quem ofendeu e precisa restaurar um relacionamento precisa de:

  1. Demonstrar arrependimento
  2. Mudar de atitude
  3. Por em prática a restituição
  4. Reconstruir confiança (provar que mudou – ao longo do tempo)

Até 70×7 Deus nos manda perdoar, mas não nos obriga a confiar na pessoa, ou a restaurar um relacionamento instantaneamente. Perdão é pela graça, mas confiança é restaurada por obras.

O que realmente é o perdão?

  1. É abrir mão do meu direito de revidar

 Esse é o coração correto do verdadeiro perdoador (Rm 12:19). No versículo Deus diz que julgará a todos nós um dia, ou seja, “deixa comigo”. Ele resolverá, e você precisa parar de cobrar a dívida e perdoar para ter paz e viver. Deixe a parte da justiça com Deus, que fará um trabalho melhor que você nesse ponto. O ponto de partida é renunciar o direito de cobrar. Não caia na armadilha da amargura e do ressentimento, além de serem sentimentos que causam doenças psicossomáticas, fazem mal de muitas outras formas. Não adianta o tamanho da angústia ou do ressentimento, não vai mudar o que aconteceu e acaba estragando o seu futuro. O maior sofredor é o amargurado e o ressentido, preso no passado e o único que realmente sente a dor que foi causada.

Há várias razões para se perdoar, uma delas é: Porque Deus também te perdoou, porque o rancor traz uma miséria de alma e você precisará de mais perdão no futuro, e a bíblia diz que nós não vamos receber de Deus aquilo o que não estamos prontos para dar. Perdão é a ponte que precisamos cruzar para chegar no céu.

  1. Eu pago o mal com o bem

 Se você não perdoar, vai acabar se tornando como os que te feriram

Isso mesmo, quanto mais você abraça a dor e foca na ofensa, mais parecido com o seu agressor (Lc 6:27-28).

Fazer o bem, abençoe e ore por. Isso é uma evidência de amor e de perdão. Assim nos tornamos semelhantes a Jesus. Qualquer um paga o mal com o mal, mas o poder de Deus nas nossas vidas, nos capacita a pagar o mal com o bem. Nós quem escolhemos como agir, isso é liberdade (Rm 12:21).

Como você sabe se realmente perdoou?  Poder orar e abençoar essa pessoa, com sinceridade, é um indicativo de que você perdoou. Você passa a orar pela dor da pessoa porque você está curado. Quando se trata de perdão, os pastores sempre escutam “você não sabe o quanto alguém me machucou”, “você não imagina pelo o que eu passei”. E eu digo, realmente não sei, sinto muito, mas você jamais seguirá com a sua vida, se não abrir mão dessa dor.

Não estou dizendo para esquecer, não dá para fazer isso, estou dizendo para você abrir mão do seu direito de vingança e pague o mal com o bem.. E você pode ainda dizer que não consegue fazer isso. E eu quero dizer que você está certo.

Em nós sozinhos não temos nenhuma chance de conseguir fazer isso. Por isso precisamos de Jesus. Não há chances de termos esse tipo de amor em você, não é da natureza humana, é a través do amor de Deus e nós, enchendo os nossos corações e afetando as nossas atitudes.

É uma decisão diária.

  1. Eu repito esse processo quantas vezes for necessário

Jesus ensinou a perdoar 490 vezes por dia. Ou seja, pare de contar. Enquanto tiver que perdoar, continue perdoando. Na lei judaica dizia que era necessário perdoar um homem até 3 vezes e Pedro ainda achou que estaria ótimo 7 vezes porque excede e muito a lei. Mas ele estava errado. Você deve continuar perdoando enquanto for necessário. Continue abrindo mão, continua pagando o mal com o bem.

O perdão não faz esquecer o fato, mas faz esquecer a dor. Abrir mão traz memórias repetidas do que aconteceu, o que exige que perdoemos cada vez que nos é trazido memórias de mágoa até que a dor passe. Vou tentar conectar o meu coração ao seu e dizer: Se você foi ferido, se recusa a perdoar e não consegue abrir mão… Quando acha que fugindo do relacionamento tudo vai melhorar, não vai acontecer; O que faz a dor ir embora é difícil, mas é decidir perdoar. Você não ter vontade de perdoar, mas ninguém tem vontade, mas fazemos isso por amor, se não aos outros a nós mesmos. O resultado do perdão nos faz sentir bem emocionalmente. (Colossenses 3:13)

Deus em você e através de você que o perdão de Deus se manifesta em você e opere dentro de você da mesma forma que você foi perdoado. Ore liberando o renovo, a restauração e o perdão. Coloque em prática, perdoar não é bom, mas o resultado do perdão é ótimo.

Veja também a palavra em vídeo, pelo link: https://www.youtube.com/watch?v=CDpwpaMH1Uk

Por: Bispo Jonatas Silveira

Publicar um comentário