PLANEJANDO PARA AGRADAR A DEUS

Revisão: Na lição anterior estudamos sobre a necessidade de termos uma vida com propósitos. Vimos que muitas pessoas estão sendo dirigidas por coisas como a culpa, o ressentimento, o medo, o materialismo e a necessidade de aprovação. Fomos desafiados a responder a pergunta “O que dirige a sua vida?”. Se você quer ter uma vida dirigida por Deus deve se perguntar qual foi o propósito de Deus ao te criar, pois sem saber o motive da nossa vida, a vida nunca vai fazer sentido. Por isso, hoje vamos começar a desvendar os propósitos de Deus para nossa vida. Vamos nos voltar para o manual que Deus deixou para nós e descobrir como podemos viver uma vida plena.

Propósito n.°1

Planejado Para Agradar a Deus – Parte 1

Ap. 4.11 – Tu criaste todas as coisas, e é para o teu agrado que elas existem e foram criadas.

​Introdução: Você foi planejado para agradar a Deus. Deus não precisava criar você, mas escolheu criá-lo para a satisfação dele. A bíblia também chama isso de adoração. Portanto, adoração é tudo aquilo que fazemos para agradar a Deus. Dar satisfação a Deus, vivendo para seu prazer, é o primeiro propósito de sua vida. Nesta lição vamos descobrir como podemos cumprir esse propósito. Estudaremos os 3 fundamentos da nossa adoração.

​Primeiro Fundamento: A Rendição – Render-se a Deus é a primeira condição para que você possa agradar a Deus, tornando-se um adorador. O termo render-se normalmente é usado para coisas negativas. Você se rende ao perder uma luta, você se rende a em uma situação de assalto, você se rende diante de uma circunstancia quando desiste de lutar, etc. Essa palavra está sempre associada a alguma coisa que você perdeu. Se você se rendeu, você perdeu alguma coisa. Mas quando falamos de vida cristã render-se sempre está relacionado a abrir mão de algo que eu quero para fazer algo que Deus quer, então de certa forma estamos perdendo para Deus, permitindo que a vontade d’Ele prevaleça sobre a nossa. Mas a palavra nos ensina que perder para Deus é, na verdade, ganhar. “Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará” (Mc 8:35). Não há como agradar a Deus se você não render a sua vontade à vontade de Deus.

​Você jamais poderá dizer que Jesus é o seu Senhor se você não estiver disposto a render todas as áreas da sua vida ao senhorio d’Ele. Para Deus não existe rendição parcial. Jesus só é o seu Senhor se você decidir “perder”, ou seja, alinhar a sua vontade com a vontade de Deus.

Porque a rendição é o primeiro fundamento? Porque ela implica em obediência e confiança que são os dois pilares da rendição a Deus. Vou explicar esses dois aspectos.

 

​- Obediência – Jesus disse em João 15:14 – Vocês serão meus amigos, se fizerem o que eu lhes ordeno. Observem a palavra “se” nesse verso. Ela expressa uma condição. Em outras palavras, a obediência é uma condição para um relacionamento íntimo com Deus. Eu não sei que tipo de relacionamento você quer desenvolver com Deus, mas se você quer ser amigo de Deus é necessário obedecer. Qualquer ato de obediência é também um ato de adoração. Por que a obediência agrada tanto a Deus? Porque além dela ser uma condição para um relacionamento de amizade com Deus, ela também é uma prova que você realmente o ama. Jesus disse: Se vocês me amam, obedeçam aos meus mandamentos (Jo 14:15).

​- Confiança – A rendição também tem um segundo ingrediente; a confiança. É a confiança que nos leva a obedecer a Deus incondicionalmente. Desobedecer a Deus e a sua Palavra é como dizer: “Eu não confio que Deus vai cuidar de todas as áreas da minha vida, então eu prefiro tomar conta de algumas dessas áreas do meu jeito.” Então você faz uma lista das ordens que você está de acordo as obedece, enquanto deixa de lado as que você acredita serem absurdas, difíceis, ou abusivas. Eis alguns exemplos do que as pessoas dizem: “Vou ler a Bíblia, mas não perdoarei à pessoa que me magoou. Vou participar de coisas da igreja, mas não quero saber dessa história de fazer discípulos. “Vou à igreja, mas não vou dar o dízimo.”  Todavia, obedecer parcialmente é desobedecer. Confiar é um ato de adoração, pois a obediência começa com a confiança. Eu obedeço porque eu confio em tudo o que Deus está faz e eu sei que Ele é fiel e justo para cumprir tudo o que Ele diz. A confiança ensina que eu não preciso compreender tudo para obedecer. Eu obedeço porque eu confio em Deus totalmente sei que tudo o que Deus faz é bom. A Bíblia diz em Hebreus 11:6 que “sem fé é impossível agradar a Deus”. Depois, por todo o capítulo 11 o autor de Hebreus dá exemplos de homens que decidiram confiar em Deus mesmo sem entender ou compreender o que Deus estava pedindo. A compreensão pode esperar, mas a obediência não. Na verdade, você jamais compreenderá algumas ordens de Deus sem que as tenha obedecido primeiro. A obediência libera a compreensão. Eu gosto do que Davi diz no Salmo 119:33 “Ensina-me, Senhor, o caminho das tuas ordens! Então eu te obedecerei até o fim da vida”.

​O ato da rendição é pessoal e voluntário. Apesar de Deus tê-lo criado para que você o agrade, cumprir esse propósito passa pelo exercício da sua vontade. Render-se é um trabalho árduo, pois é uma intensa guerra contra nossa natureza egoísta, mas a recompensa da rendição completa é que você vai experimentar o poder de Deus em todas as áreas da sua vida. Rendição é confiar em Deus 100% e obedecer em tudo, sabendo que Deus o ama e vai cuidar de você em tudo.

​Tema para discussão: Reflita nessas 3 perguntas:

1) Será que você está vivendo uma vida de rendição?

2) Será que você tem demonstrado o seu amor para com Deus através da obediência incondicional?

3) Em quais áreas de sua vida você ainda precisa confiar em Deus completamente?

Publicar um comentário